É Preciso Prevenir o Câncer de Pele

É Preciso Prevenir o Câncer de Pele

2Geralmente não se pensa na pele como um órgão, mas é isso que ela é: o maior órgão e nosso corpo. Ela é encarregada de proteger nossos órgãos internos contra germes e bactérias, equilibrar a temperatura corporal, fazer a troca de gazes e líquidos com o ambiente externo, além de captar e enviar para o cérebro informações como dor, calor, frio e tato.

Nossa pele é composta por 3 camadas: a epiderme, a derme e o tecido subcutâneo; sendo que é na epiderme – a camada mais fina de todas – que se desenvolvem a maioria dos tumores de pele.

Hoje o câncer de pele é o tipo de tumor mais frequente no Brasil, e corresponde a 25% de todos os tumores malignos registrados no pais.

Segundo o INCA – o Instituto Nacional de Câncer – a estimativa para o ano que vem é de que sejam registrados quase 200 mil novos diagnósticos. Por isso é preciso darmos uma atenção especial para a prevenção dele principalmente com a chegada do verão, período onde as pessoas se expõe mais ao sol e estão mais propensas ao desenvolvimento da doença.

Para prevenir o câncer de pele podemos tomar algumas atitudes simples, porem muito efetivas, como por exemplo:

 

  • Evitar tomar sol nos períodos mais do dia, principalmente no verão entre as 11h e as 16h;
  • Usar chapéu ou boné com abas largas para proteger o rosto dos raios solares;
  • Vestir roupas de algodão ou de outras fibras naturais evitando sempre a cor preta e a cor branca, pois o tipo do tecido e a cor podem facilitar ou dificultar a passagem de raios UV para a pele;
  • Usar óculos escuros, de preferência aqueles que tem o selo do IMETRO com a certificação de proteção UV;
  • Evitar câmaras de bronzeamento artificial, pois esses aparelhos expõe a epiderme a altas concentrações de radiação UVA e UVB, aumentando as chances de acontecerem mutações nas células da pele.
  • Fazer o auto diagnostico, observando a própria pele pelo menos 1 vez por mês e procurando pintas, sinais ou manchas com a cor mais escura, com bordas irregulares, ou que tem alimentado de tamanho.
  • Consultar um Médico Dermatologista ao menos uma vez ao ano para que seja realizado um exame completo.
  • E por último – e mais importante – usar sempre o protetor solar com FPS adequado.

 

O uso do protetor solar aliás é um caso à parte, pois como é sabido o câncer de pele é mais comum em pessoas de pele clara, e por isso o Fator de Proteção Solar deve ser ajustado conforme a tonalidade da pele da pessoa, sendo que por padrão a Associação Brasileira de Dermatologia recomenda a seguinte tabela de referência:

 

  • FPS entre 30 e 60: Indicado para pele branca ou muito branca. Geralmente pessoas que tem sardas no rosto, olhos claros e cabelo claro ou ruivo e a pele queima-se muito facilmente e nunca fica bronzeada, ficando avermelhada quando exposta ao sol.
  • FPS entre 20 e 30: Indicado para pele morena clara à mulata. Geralmente são pessoas em que a pele é morena clara, o cabelo castanho claro, escuro ou preto. A pele por vezes, queima-se, porém, também se bronzeia.
  • FPS entre 6 e 15: Indicado para pele negra. Geralmente são pessoas que tem a pele muito escura, raramente se queimam e bronzeiam muito, mesmo que o bronzeado não seja muito visível.

Diante da alta incidência do câncer de pelo, se você se preocupa com sua saúde e bem-estar o melhor mesmo de começar a cuidar da sua desde cedo.
Entretanto se você é do tipo que se esqueceu de tomar os cuidados essenciais com a pele durante vários anos talvez seja a hora de você agendar uma consulta com seu médico para que ele possa fazer uma avaliação do estado atual da sua epiderme e dizer se você corre algum risco de desenvolver algum tipo de tumor.

 

Em uma consulta com um especialista é normal que o médico pergunte se ocorreram mudanças na sua pele, se alguém mais na sua família teve câncer de pele e sobre sua exposição aos fatores de risco.
Também é normal que se faça o exame com uma luz ultravioleta para que se possa visualizar melhor as pequenas mudanças da derme.

 

Caso seja encontrada alguma macha anormal o médico observará a evolução da mesma, se ela aumenta de tamanho ou se muda de aparência. Ele também deverá observar o tamanho, a cor, a forma, a textura e se a mancha sangra ou descama. Por fim, a confirmação ou não do diagnostico virá de uma biopsia onde uma amostra do tecido é retirada e enviada para análise.
Assim, com todos esses exames, você terá um diagnóstico completo sobre a saúde da sua pele e poderá tratar tumores precocemente.

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *