Como Tratar a Calvície?!

Como Tratar a Calvície?!

A alopecia androgenética é um nome complicado que designa um problema que muitos homens estão carecas de saber: A calvície masculina.
Alopecia significa queda de cabelo, e androgênica se refere a influência dos hormônios masculinos no processo. A incidência dessa doença é determinada por influências genéticas, sendo que a prevalência mais alta está entre os homens com ascendência europeia.
Apesar de grande impacto na vida social e até mesmo no estado psicológico ainda são poucos homens que procuram tratamento para essa doença.
Isso ocorre porque a maioria das pessoas não sabe que se trata de uma doença, e muito menos sabem que a maioria dos casos (se tratados precocemente) podem ter cura.
Mas antes de falarmos sobre os possíveis tratamentos é necessário entender o clico de vida dos fios de cabelo.
Os pelos e os cabelos são compostos proteínas, sendo a principal delas a queratina. O crescimento dessas estruturas de proteína se dá através folículos pilosos que são orifícios na pele situados nas regiões mais profundas da derme.
Com exceção das palmas da mão mucosas e plantas dos pés, todo o corpo possuem folículos pilosos, podendo assim desenvolver pelos.
O que varia de uma região para a outra do corpo é a velocidade com que os pelos crescem, além de sua densidade e cor. Assim cada região do corpo possui pelos com características diferentes que visam proteger a pele e ajudar na transpiração.
O couro cabeludo de um adulto jovem possui em média 100 mil fios de cabelo que crescem a uma taxa de 1 a 2 centímetros por mês. Nessa região a taxa de queda normal fica entre 75 a 100 fios por dia, os quais são prontamente repostos pelos próprios folículos.
O problema todo acontece quando a taxa de queda é mais alta do que a taxa de reposição, ou ainda quando os folículos simplesmente deixam de produzir novos fio.
A maior parte das pessoas acredita que é normal que os cabelos caiam e fiquem ralos com o passar do tempo. Mas isso é um engano, pois o que ocorre com a maioria dos homens é que seus hormônios se ligam a receptores que ficam nos pelos, o que provoca a queda de cabelo e a obstrução dos folículos.
É sabido que o desencadeamento desse processo de queda e obstrução é causado principalmente pelo hormônio chamado testosterona, e que o as manifestações da calvície podem surgir desde a adolescência (onde há um pico hormonal no organismo). Mas em geral a queda mais acentuada de cabelos nos homens costuma ocorrer entre os 25e 45 anos, o que dá bastante tempo para que se inicie um tratamento preventivo.
Ao observar o surgimento das famosas “entradas” – conhecidas pelos médicos como “alopecia androgenética de padrão Bitemporal” – é importante que se procure um dermatologista, pois nessa fase é possível iniciar tratamentos a base de medicações tópicas como o Minoxidil, xampus específicos e loções.
Caso seja necessário e o paciente concorde, também é possível o uso da medicação oral chamada Finasterida, que estimulam o crescimento do cabelo e que também são mais úteis como forma de prevenção.
Atualmente as drogas usadas pelos dermatologistas para o tratamento da calvície tem um excelente perfil de segurança, sendo que possuem baixos índices de reações alérgicas ou de qualquer outra manifestação adversa.
O Minoxidil, por exemplo, é usado em soluções com 5% do princípio ativo, sendo aplicado no próprio couro cabeludo sob a forma de loção capilar.
Já a Finasterida é um medicamento de tarja vermelha e tem seu uso controlado além da venda sob prescrição médica.
Os pacientes que precisem recorrer a estes comprimidos devem antes consultar seu médico, e fazer o uso estritamente dentro das quantidades receitadas, pois como cada caso de calvície é único a dosagem dever ser milimetricamente adequada ao estado do paciente para que se possam observar os efeitos desejados.
A Finasterida e seus derivados vem obtendo excelente aceitação entre os médicos, e estudos demonstram que cerca de 60% dos pacientes que foram diagnosticados ainda na fase inicial da Alopecia e tratados com a droga possuem resultado satisfatório na recuperação dos cabelos.
O único inconveniente do uso deste medicamento está no fato de que seu uso deve ser continuo, já que a atuação dele se baseia na inibição da chegada dos hormônios ao couro cabeludo.
Assim, se o paciente deixar de tomar seus comprimidos diários, em pouco tempo o hormônios voltarão a afetar os folículos ocasionando a progressão da doença.
Por outro lado, para aqueles casos mais avançados ou nos quais os pacientes não desejam se prender a uma medicação pelo resto da vida, ainda existe a opção do transplante capilar, uma técnica onde o cirurgião (com a ajuda de pinças e de um microscópio) reitera fios saldáveis de uma área do couro cabeludo doadora, reimplantando os mesmos nos folículos da área calva.
O transparente capilar também é um excelente tratamento para a calvície e caso você queira saber mais sobre este ou sobre os outros tratamentos citados no artigo basta agendar uma consulta com um de nossos dermatologistas através da plataforma Tá Agendado. Assim, durante a consulta, você receberá um diagnóstico completo do estado de evolução em que se encontra sua Alopecia, e quais são os tratamentos mais recomendados para seu caso.

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *