Aprenda a parar de fumar sem usar remédios

Aprenda a parar de fumar sem usar remédios

Para muitos trata-se de uma tarefa impossível, mas acredite: especialistas em tabagismo afirmam que é possível largar o cigarro sem precisar de remédios ou de outros tratamentos químicos.

 

Só no Brasil o total de fumantes ultrapassa os 25 milhões e o pior de tudo é que a ciência tem demonstrado que em a cada dois dependentes um deles vai morrer por problemas relacionados ao tabaco. Isso porque segundo dados do Instituto Nacional de Câncer o cigarro mata 200 mil brasileiros por ano.

Então se você faz parte dessa triste estatística ou conhece alguém que faça parte está na hora de ouvir o que os especialistas no combate ao cigarro têm a ensinar para quem precisa largar o vício e ter uma vida melhor.

Segundo o pneumologista Mário Roberto Jardim o primeiro passo para deixar o cigarro é o querer:

 

“ Não adianta dar bronca, fazer sermões ou mesmo apresentar as estatísticas uma vez que o fumante só vai largar se quiser. ”

“E para isso ele precisa ter uma razão” – ressalta o médico.

 

Logo é preciso identificar quais são as maiores motivações na vida de um dependente, ou seja: é preciso identificar o que o faz querer continuar vivo.
Para alguma essa motivação vem dos filhos, do conjugue ou dos familiares. Pessoas com as quais o paciente tem laços afetivos e não gostaria de vê-las sofrer.

Outra motivação bastante forte é o fato do próprio paciente não querer sofrer com tratamentos dolorosos e muitas vezes efetivos. Então para fixar essa motivação na cabeça de um dependente vale até mesmo leva-lo ao ambulatório de um hospital que trate o câncer, assim ele poderá ver de perto as terríveis consequências que o cigarro pode provocar no corpo.

Após identificar a motivação correta para parar de fumar, pacientes que sofrem do grau mais moderado da dependência de cigarro, por exemplo, podem se beneficiar da simples mudança na rotina e também com a introdução de atividades físicas regulares em sua agenda.

 

Outra dica importante é a de tomar atitudes que ajudem a administrar a “dependência psicológica e mecânica” gerada pelo cigarro. Isso significa dizer que também é preciso tratar a associação que o fumante faz entre o cigarro e hábitos cotidianamente executados. ,

Alguns pacientes por exemplo associam o cigarro ao cafezinho, já outros têm o hábito de ficar mexendo no cigarro, e alguns deles usam o cigarro como gatilho para a rotina de sair do escritório e ir dar uma volta fora do prédio, por exemplo.

É por isso que parar com essas ações depende muito da força de vontade, já que será necessário eliminar os gatilhos e as rotinas mecânicas que levam o paciente a fumar.

Se se a pessoa fuma toda vez que toma café, uma atitude prática pode ser deixar de tomar café, evitando assim a associação automática feita pelo cérebro, e prevenindo o disparo do gatilho da rotina que levaria a pessoa a fumar.

E por fim, uma dica infalível para parar de fumar sem depender de medicamentos é deixar a companhia de quem fuma.

 

Essa atitude funciona trazendo dois tipos de benefícios:
O primeiro benefício é que ao parar de andar com fumantes o paciente deixa de inalar a fumaça produzida por eles, diminuindo os danos à saúde que antes eram causados por cigarros que nem mesmo tinham sido levados à sua boca.

O segundo benefício observado para quem toma essa atitude é a diminuição drástica dos estímulos psicológicos que fazem com que a pessoa queira fumar.
Isso funciona de forma simples, mas muito poderosa, uma vez que quanto menos o paciente vê pessoas à sua volta fumando, menos ele tende a querer fumar também.

 

Então, se você pretende parar de fumar mas tem receio de usar remédios, não hesite: existem muitos métodos não medicamentosos que vão lhe proporcionar uma imensa melhora na qualidade de vida, além da redução no risco de desenvolver doenças associadas ao cigarro.

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *