Tudo Sobre a Sinusite

Tudo Sobre a Sinusite

Você está sofrendo com congestão, nariz escorrendo e dores no rosto na região nasal? Pois saiba que você pode ter Sinusite. E para ajudar hoje nós do Blog Tá Agendado temos um super artigo com tudo que você precisa saber sobre a Sinusite.

 

O que é Sinusite?

A Sinusite é uma inflamação localizada na mucosa dos seios da face, que é aquela região do crânio formada por cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos.

Essa doença pode ser secundária a uma infecção, quadro alérgico ou qualquer fator que atrapalhe a correta drenagem de fluídos de secreção dos seios da face.

É bastante comum que a Sinusite seja provocada pelo vírus Influenza tornando essa doença frequente durante as crises de gripe. Entretanto a Sinusite também pode surgir devido ao desenvolvimento de bactérias nas secreções nasais, que ficam presas no interior dos seios nasais, como acontece após alergias.

Também é importante saber que a Sinusite tem cura e o seu tratamento deve ser orientado por um clínico geral ou otorrinolaringologista.

 

Quais são os sintomas da Sinusite?

Alguns dos principais sintomas da Sinusite são:

  • Forte dor de cabeça
  • Forte dor nasal
  • Dor ou irritação na garganta
  • Inchaço ou sensação de peso no rosto
  • Dor local (por exemplo atrás dos olhos, nariz, orelha, rosto, seios paranasais ou testa)
  • Corrimento nasal, coceira no nariz ou perda de olfato
  • Tosse crônica
  • Fadiga, febre ou mal-estar
  • Dificuldade em dormir ou ronco

 

Quais os principais tipos de sinusite?

De acordo com a categorização feita pelos médicos a Sinusite pode ser dividida em vários tipos, dependendo dos seios nasais afetados, da duração dos sintomas e do tipo de causa.

Dessa forma, quando a sinusite afeta apenas os seios nasais de um do lado do rosto, é conhecida como Sinusite Unilateral, enquanto quando ela afeta seios dos dois lados é conhecida como Sinusite Bilateral.

Já a categorização quando se fala da duração dos sintomas pode ser feita classificando como Sinusite Aguda quando os sintomas duram menos de 4 semanas, ou Sinusite Crônica quando estes duram mais de 4 semanas.

Em geral a Sinusite Aguda é mais frequente em casos de contaminação por vírus, enquanto a Sinusite Crônica é frequente em contaminações por bactérias.

Assim, pode se dizer que quando se avalia a Sinusite pelas suas causas, ela pode ser categorizada como Sinusite Viral, se for provocada por vírus, ou por Sinusite Bacteriana, se for causada por bactérias. Ou ainda pode ser categorizada como Sinusite Alérgica, caso tenha sido causada por uma alergia.

 

Quais são as causas da Sinusite?

A Sinusite pode ser causada tanto por agentes infecciosos, como bactérias, fungos e vírus, quanto por fatores alérgicos.

A poeira, choques térmicos ou cheiros fortes também são listados como desencadeadores da Sinusite Alérgica.

Outros fatores mais sérios para a Sinusite podem ser aqueles de origem fisiológicas, como por exemplo alterações na anatomia nasal ou ainda em casos mais raros a presença de um tumor.

 

Como diagnosticar a sinusite?

O diagnóstico da sinusite deve ser feito por um otorrinolaringologista e, normalmente pode ser feito apenas com a observação dos sintomas do paciente e através palpação dos seios nasais para avaliar se existe sensibilidade nessa região.

Entretanto também é possível que o médico peça outros exames clínicos como:

  • Endoscopia nasal
  • Tomografia computadorizada
  • Colheita de secreções nasais
  • Teste de alergia
  • Raio X (que vem sendo cada vez menos utilizado já que pode ser substituído com maior precisão pela tomografia computadorizada)

 

Qual médico procurar para tratar a Sinusite?

Agora que você já ficou sabendo tudo sobre a Sinusite é hora de procurar um médico através da nossa ferramenta de agendamento de consultas para se tratar.

Você pode buscar por um clínico geral, no intuito de que esse faça um diagnóstico inicial da doença, ou ainda pode ir direto ao otorrinolaringologista, que te dará um diagnóstico mais especializado além de ser capaz de tratar as formas mais graves da doença.

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *