Acabe de uma vez por todas com a prisão de ventre

Acabe de uma vez por todas com a prisão de ventre

Se você sofre com prisão de ventre está na hora de aprender de uma vez por todas como acabar com este mal

 

O que é a prisão de ventre?
Conhecida também como constipação intestinal, intestino preso ou obstipação a prisão de ventre acontece quando os movimentos do intestino tornam-se difíceis ou menos frequentes ou quando as fezes tornam-se muito ressecadas causando dificuldade na hora de evacuar e pouca frequência. Ela pode ser considerada aguda quando ocorre em eventos isolados e de curta duração, ou crônica quando persiste dura meses ou até mesmo anos.

Diagnóstico
Não existe um padrão rígido com o qual os médicos possam classificar a frequência normal de funcionamento dos intestinos, sendo que esse funcionamento costuma variar de 3 a 12 vezes por semana dependendo da pessoa. É por isso que constipação não é necessariamente diagnosticada pelo número de vezes que o paciente vai ao banheiro, uma vez que duração normal de tempo entre as evacuações varia muito, e que quase todo mundo já teve pelo menos um episódio de constipação aguda durante a vida.

Pesquisas feitas com pacientes que reclamam de prisão de ventre mostraram que até 60% dos que se auto classificam como constipados conseguem evacuar diariamente, o que demonstra um erro no conceito popular que se tem do intestino preso.

O que ocorre é que estes indivíduos na maioria das vezes se queixam na verdade de um esforço demasiado na defecação ou da sensação de defecação incompleta, mas eles não tem nenhum problema clinico decorrente disso.

Por esse erro no auto diagnostico os médicos começaram a levar em consideração como um quadro típico de constipação as vezes em que o paciente tem duas ou menos evacuações por semana e/ou muito esforço para evacuar.

Vale lembrar ainda que a prisão de ventre não uma doença em si, mas sim um sintoma de que alguma área do corpo não vai bem.
Por isso muito além de tratar a dor de barriga e as dificuldades de ir ao banheiro, é preciso que o objetivo do tratamento seja o de corrigir as causas da constipação.

Possíveis causas
As causas para a constipação do trânsito intestinal são diversas, e podem desde situações simples, como pouca ingestão de água e baixo consumo de fibras, podendo chegar a casos mais graves, como tumores do intestino ou doenças neurológicas.

Entretanto o que a experiência médica demonstra é que na maioria das vezes a constipação não é um sinal de nenhuma doença grave, sendo muito comum não haver uma causa especifica identificável. Dessa forma casos crônicos sem causa aparente podem ser classificados como constipação intestinal idiopática ou funcional.

Entre os fatores mais comumente associados à problemas no trato intestinal estão uma dieta inadequada, com elevado consumo de proteína animal e carboidratos, e baixo consumo de água e de fibras.

O consumo excessivo de laticínios, a introdução de novo alimentos na dieta ou mesmo refeições que excedem muito a quantidade que o indivíduo está acostumado a comer, podem ser outros fatores causadores da prisão de ventre.

Além disso, também colaboram com o quadro são o sedentarismo, o estresse e a ansiedade, as alterações na rotina (como em viagens) e a falta de mobilidade do paciente (como no caso de pessoas que ficam restritas a cadeira de rodas ou a cama).

Mas atenção, em um pequeno percentual dos casos o agente causador dos sintomas da constipação podem ser mais sérios, como por exemplo: doenças do cólon e do reto, diverticulose, fissuras anais, hemorroidas, e até mesmo câncer colorretal.
Por isso é sempre recomendável que se procure um médico especialista para que este possa fazer o correto diagnostico e indicar o melhor tratamento para cada caso.

 

Formas de tratamento
Assim como as causas, os tratamentos para a prisão de ventre podem ser variados, indo de atitudes simples como mudanças na rotina alimentar, e chegando até mesmo a intervenções cirúrgicas. Veja abaixo algumas possíveis formas de prevenção e de tratamento:

  • Aumento na ingestão de água
    A primeira atitude que pode ser tomada é aumentar a ingestão de água, pois além de ser uma mudança de fácil acesso ela também acaba beneficiando outras áreas do corpo, A necessidade diária de água varia para cada pessoa mas de maneira geral uma pessoa saudável deve ingerir aproximadamente dois litros de água por dia.
  • Ingestão de fibras
    Outra atitude básica que pode ser tomada consiste na maior ingestão de fibras (legumes, verduras, frutas, cereais integrais, etc.) e de alimentos com propriedades laxativas (como o mamão e a ameixa). As fibras são as responsáveis pela formação do bolo fecal e tem a capacidade de facilitar o trânsito dos alimentos no intestino, sendo – portanto – fundamentais para o equilíbrio dos processos digestivos.
  • Melhorar a mastigação e fazer as refeições em um tempo adequado
    Apesar de parecer uma dica a princípio boba, o fato é que cada vez mais as pessoas comem com pressa, sem se dar o devido tempo para mastigar os alimentos e para fazer pausas entre cada porção da refeição.
    Uma boa mastigação é capaz de quebrar os alimentos de forma a facilitar o início do processo de digestão, além disso uma enzima chamada Amilase que está presente na saliva é uma das grandes responsáveis pelo início das dissolução do bolo alimentar, facilitando todo o restante do processo digestivo.
  • Pratica de exercícios físicos
    A maioria dos pacientes também pode se beneficiar com mudanças simples rotina inserindo a pratica de exercícios no dia a dia. Durante o exercício físico o intestino é estimulado pelos movimentos do corpo.
    Além disso o aumento da circulação sanguínea na região abdominal e o alivio de ansiedades e estresses faz com que a prática de exercícios colabore bastante para a melhoria do quadro de constipação intestinal.

 

  • Diminuir a ansiedade e o estresse
    A ansiedade assim como o estresse podem ocasionar sintomas gastrointestinais que podem ir de uma prisão de ventre a uma diarreia. Para aqueles que já tem prisão de ventre o estresse pode fazer com que os sintomas retornem ou piorem. É por isso que é altamente recomendado que o paciente adote hobbies ou técnicas de relaxamento para a redução do estresse e da ansiedade.
  • Uso de laxantes e outros medicamentos
    A indicação do uso de laxantes é feita para episódios isolados quando o tempo de constipação se estende por vários dias. Os laxantes são divididos entre naturais e sintéticos. Sendo que primeiros regulam o funcionamento intestinal e normalmente são compostos a base de fibra.
    Já os laxantes sintéticos atuam puxando a água presente nas paredes do intestino para diluir a massa fecal e eliminando-a. Alguns laxantes sintéticos também podem agir causando uma irritação na parede do intestino, forçando a evacuação.
    Vale lembrar que a prescrição desses remédios somente pode ser feita por um especialista, e que o paciente deve sempre seguir à risca as orientações do seu médico.
  • Cirurgia e lavagem intestinal
    Em alguns casos mais extremos pode ser preciso fazer procedimentos como uma lavagem intestinal, a qual também pode ser precedida do uso de laxantes.
    Outra hipótese para aliviar o intestino do constipado em emergências medicas é cirurgia, procedimento esse indicado somente em casos de retocele, fissura anal, estenose ou câncer.
    Nesses casos extremados é imprescindível que o paciente seja acompanhado por uma equipe multidisciplinar e que o diagnostico seja feito com o máximo de rapidez e de precisão.

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *