Cuidados com a higiene ao comprar comida de rua

Cuidados com a higiene ao comprar comida de rua

Quando compramos comida na rua em geral estamos preocupados com o preço e com a preça. Mas é preciso também ficar de olho na qualidade e na higiene para evitar possiveis complicações médicas.

Os alimentos vendidos nas ruas podem representar um problema de saúde pública por isso é preciso redobrar os cuidados com o consumo desse tipo de alimento, principalmente no verão quando as vendas aumentam siginficativamente.

Os especialistas explicam  que como as comidas de rua ou “streetfood” muitas vez são preparadas com antecedência ou vendidas sem as adequadas condições de higiene, podem colocar em risco a saúde do consumidor. No caso da infecção alimentar, ela pode ser causada por alimento que estava em má conservação, com muita gordura, mal higienizado ou mesmo com muito condimento.

O risco ao consumir alimentos de rua como pastéis, salgadinhos, cachorro-quente, espetinhos, entre outros, é contrair uma infecção pelas bactérias.

Vários fatores podem favorecer a contaminação e deterioração desses alimentos, entre eles, ausência de água potável, refrigeração inadequada, manipulação inapropriada, ausência de áreas para descarte do lixo.

Sintomas

Os principais sintomas decorrentes das infecções são, em geral, dores abdominais, náuseas, vômitos, diarréias e, às vezes, febre e desidratação.

Esses sintomas podem ocorrer entre 6 e 72 horas após a ingestão dos alimentos.  Após o surgimento desses sintomas, a pessoa deve procurar orientação médica antes que o quadro clínico complique.

Orientações

Com a chegada do verão e o aumento dos frequentadores das praias, as pessoas devem redobrar os cuidados.  Se tiver que consumir opte por água de coco, água mineral, sucos, pois, além de refrescantes, são ótimos para hidratação. O picolé de frutas pode ser uma alternativa. Outra boa opção é consumir frutas como maçã, pêra, pêssego e banana.

Cuidados

Confira os cuidados importantes que você deve tomar ao consumir alimentos na rua:

  • As condições de higiene do estabelecimento;
  • A higiene pessoal do vendedor, a maneira como ele manipula o produto
  • A qualidade dos ingredientes utilizados nos lanches.

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *