Previna-se contra a desidratação

Previna-se contra a desidratação

Neste artigo vamos falar sobre o que é de fato a desidratação, sobre seus efeitos no organismo e sobre as melhores formas de se prevenir

A desidratação é considerada um mal grave uma vez que leva o organismo a uma grande perda de líquidos e sais minerais,  podendo interferir nas suas funções fisiológicas normais do dia a dia.

Esse mal pode afetar qualquer pessoa, porem as principais vítimas dele são idosos e crianças, que em geral tem o organismo mais susceptível a perda de líquidos. Na criança o que acontece é que a proporção de água em seu corpo é maior, então qualquer perda de liquido que não possa ser reposta pode causar um prejuízo significativo. Já nos idosos o que acontece é que a capacidade de reter liquido é menor, então após uma desidratação o seu organismo vai se recuperar de forma mais lenta, uma vez que vai demorar mais para reter a água e voltar aos seus níveis normais de hidratação.

Mesmo sendo a desidratação uma doença grave, ela pode ser tratada e curada facilmente quando diagnosticada logo.

Quais são os fatores que causam a desidratação?

O nosso corpo perde e repõe cerca de dois a três litros de água por dia, e a desidratação acontece quando essa perda de água é maior que sua reposição. Em geral junto com a perda de água também ocorre a perda de elementos do organismo como os sais minerais diluídos, sódio e potássio, gerando um desequilíbrio eletrolítico.

Além da perda natural de água sem que haja a reposição existem outras causas comuns para a desidratação que são:

Suor excessivo durante atividade física exagerada. Sendo que nessa situação a desidratação pode ter efeitos mais severos uma vez que com o suor se perde mais sais minerais.

Diarreias, vômitos e outros problemas gastrointestinais. Sendo que esses males podem causar perda tremenda de água e eletrólito em um curto prazo.
Diarreia pode ser causada por bactérias e vírus, efeito de remédio e problema no estômago.
Crianças pequenas e bebês são mais propensos a esse risco por conta das doenças infectocontagiosas. E é por isso que é comum que os médicos receitem soro caseiro em caso de vômitos e diarreias, para que assim a criança possa imediatamente repor os líquidos e sais minerais perdidos.

Urinar em excesso também pode ser outra causa de desidratação.
Mas antes é precisa dizer que o seu corpo não tem uma medida exata do quanto de urina deve ser expelida, ele simplesmente elimina a urina de acordo com o seu processamento. E a quantidade desse processamento vai depender da quantidade de ingestão de água e da saúde em geral do seu corpo.
Por tanto se você estiver urinando mais que o normal a culpa não é exatamente da urina em excesso. A urina em excesso provavelmente é só um sintoma de outras doenças como a diabetes, doenças no pâncreas e nos rins.
Além disso existem alguns alimentos, chás e medicamentos que fazem com que o organismo urine mais deixando o corpo desidratado.

Tomar muito chá, café ou bebida alcoólica também é um fator que estimula a desidratação, uma vez que muitas dessas bebidas tem efeito diurético.
Muita gente se engana pensando que ao tomar um liquido vai estar se hidratando. Isso não é necessariamente verdade, pois existem líquidos diuréticos que fazem com que o organismo elimine urina em uma maior quantidade do que foi consumida.
Um exemplo para isso é a cerveja. Para cada copo de 350 ml que se toma a quantidade de água ingerida corresponde a 300 ml, mas seu efeito diurético vai fazer com que o organismo perca cerca de 500 ml de líquidos. Ou seja, no final das contas o seu organismo se desidratou em 200 ml.
A primeira vista pode parecer pouco, mas a falta de atenção e o acumulo de várias doses de uma bêbeda diurética podem levar a desidratação severa – e também à famosa ressaca no outro dia.

mais do

A febre é outro fator que pode levar à uma desidratação. Apesar de ser um caso incomum é preciso estar atento, pois esse mal pode acometer a idosos e fazer seus organismos se desidratarem sem que eles percebam.

 

Como identificar os sintomas da desidratação?

A desidratação é diagnosticada pelos médicos em três níveis: leve, mediana e grave:

  • Desidratação leve tem como sintomas a sede, fadiga, diarreia, vômito, tontura, dores de cabeça e sonolência.
  • Desidratação mediana tem como sintomas o aumento da temperatura corporal, taquicardia, diminuição de peso, pele seca e inflexível, boca seca e moleza.
  • Desidratação grave, além dos sintomas citados, também tem a sede intensa, convulsões, hipertermia, queda de pressão, perda de consciência, choque, respiração rápida, pele fria e até a morte.

Como se prevenir contra a desidratação?

O tratamento para a desidratação vária de acordo com qual nível a pessoa se encontra. No caso de desidratação leve, deve-se tomar muito líquido, pode-se tomar até uma bebida doce para ajudar a restaurar os níveis do açúcar e comer algo salgado para retificar a perda de sal. Em caso de desidratação grave, o soro será injetado nas veias.

Algumas dicas para prevenir a desidratação são:

  • Beber bastante líquido, conforme já falamos nesse artigo;
  • Usar roupas leves para praticar esportes, evitar sair nos dias quentes;
  • Ficar em lugares com ventilação;
  • Lavar bem as mãos antes e após as refeições, e após ir ao banheiro evitando problemas gastrointestinais;
  • Não praticar exercícios em lugares quentes;
  • Em caso de crianças e idosos, certificarem se eles estão tomando as bebidas, pois esquecem;
  • Corrigir o mais prontamente possível os mecanismos anormais de perdas de líquido, como febres, vômitos, diarreia e entre outros;

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *