Como anda a cabeça dos filhos de pais separados?

Como anda a cabeça dos filhos de pais separados?

Nem sempre o processo de divórcio é uma etapa fácil na vida da família, pois a separação dos pais pode causar traumas psicológicos nos filhos

Quando o casal se casa a promessa é a de ficar junto até a morte, seja na igreja ou perante a Justiça. Entretanto, a cada dia aumenta mais o número de divórcios no Brasil, e um assunto delicado que precisa ser tratado na vida do casal é a separação, que pode tomar maiores proporções quando o problema envolve os filhos.

A separação e a disputa pela guarda das crianças podem causar traumas na cabeças das crianças, e elas podem sofrer até a idade adulta.

Segundo os especialistas mesmo após a separação e o término da sociedade conjugal, os pais devem redobrar a atenção com os filhos enquanto menores, pois isso é muito importante para a formação da criança.

Além disso é possível constatar que após o divórcio os pais se afastam dos filhos. O filho acaba ficando apenas e tão somente com a mãe, na maioria dos casos, e o pai se afasta causando um sofrimento muito grande.

As necessidades dos filhos de casais separados

Após o divórcio a consciência das necessidades da criança precisa ir além da decisão judicial. Neste momento quem quer que tenha a guarda do filho tem que pensar no que é melhor para ele, podendo inclusive abdicar de parte dos direitos obtidos na justiça.

Além disso os psicólogos especializados no assumpto fazem um alerta aos pais: “ Não importa a idade dos filhos, uma separação é sempre traumática”.
Então se os casais decidirem por essa opção precisam saber que a criança vai sofrer até a idade adulta. E não raro são os casos de adultos que entram em depressão ou não conseguem estabelecer relacionamentos familiares saudáveis devido ao momento de dificuldade que viveram durante a separação dos pais.

É por isso que na hora do divórcio os pais sempre devem buscar por ajuda especializada de terapeutas, como alertam os especialistas.

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *