As fobias mais comuns que afetam as pessoas

As fobias mais comuns que afetam as pessoas

Você sabe o que são fobias e quais são as suas principais manifestações no seres humanos?

 

As fobias são medos irracionais e incontroláveis  de objetos,  de animais ou de uma situação que geralmente não representa perigo real.

Os chamados Transtornos Fóbico-Ansiosos podem se manifestar de diversas formas, e diferentemente da ansiedade natural ou do medo comum, que é uma reação a uma ameaça ou situação de perigo, o sentimento fóbico muitas vezes é incoerente, uma reação exacerbada que provoca consequências físicas e psicológicas e pode comprometer seriamente a qualidade de vida das pessoas.

Hoje nós vamos listar então as fobias mais presentes nos seres humanos, de acordo com a Associação Brasileira de Psicologia. Veja a seguir:

Hidrofobia

É comum na maioria das pessoas a forma moderada de hidrofobia que em geral está associada ao medo de afogamento e não como uma aversão à água em si. O medo ou aversão à água tem o nome de aquafobia. Outra causa da hidrofobia é um trauma, geralmente na infância, com líquidos. A maioria dos hidrófobos não sabe nadar, logo, aprender a nadar ajudaria a dissipar o medo.

Claustrofobia

A claustrofobia pode manifestar-se de forma suave ou severa. Nos casos mais complicados, o sofredor pode ter ataques de ansiedade só por fechar a porta de um quarto. Muitas pessoas sentem que a sua fobia de espaços fechados se despoleta ao entrar num elevador ou a andar de avião, por exemplo. Há até pessoas que descobrem que sofrem de claustrofobia quando se submetem a um TAC ou ressonância magnética.

Agorafobia

Agorafobia é o medo de estar numa situação da qual a pessoa não pode escapar com facilidade, e pode acontecer em qualquer lado, como igrejas, centros comerciais cheios de gente e até espaços abertos. Pode ser em qualquer lugar onde a pessoa acredite que não conseguirá sair facilmente. Ataques de pânico são comuns quando isso acontece, por isso a pessoa pode fazer tudo para evitar a situação ou lugar.

Cinofobia

Nem todos os cães são bonzinhos que nem aqueles que vemos nos filmes infantis. Existem por aí muitos cães, e raças, agressivas que assustam as pessoas.  Mas na realidade o medo de cães não tem a ver com raças ou sequer com o conhecimento do comportamento dos cães. Para quem sofre desta fobia todos os cães são agressivos e só a simples visão de um cão faz com que se mude de rumo para evitar estar próximo. Alguns têm reações piores como simplesmente ficarem estáticos de tão aterrorizados que ficam.

Misofobia

Quem sofre desta fobia, medo de germes, acha que está contaminado, por isso é comum serem vistos a entrar frequentemente na casa de banho para se lavarem. O medo irracional de sujidade e germes fá-los a acreditar que até o local mais esterilizado está contaminado. Sofrem de ataques de pânico, dificuldade em respirar, tonturas, tremores, dores no peito, ritmo cardíaco acelerado e náuseas que os fazem levar a limpeza corporal a um nível extremo.

Ofidiofobia

A ofidiofobia é o medo exagerado de cobras. Um sofredor desta fobia não sente só medo quando em contato com uma cobra – o simples pensamento ou vê-las na televisão provoca uma reação negativa. Cerca de um terço dos humanos adultos sofrem desta fobia e um estudo recente teoriza que o ser humano possa ter uma aversão natural a cobras, o que pode ter sido vital para a evolução da espécie, permitindo que as ameaças fossem identificadas imediatamente.

Aicmofobia

É um nome estranho para uma fobia bastante comum, o medo de agulhas! Há pessoas que, desde crianças, saltam das cadeiras e fogem só de verem uma agulha. Há até pessoas que tentam não olhar para não terem essas reações mas que depois desmaiam assim que a agulha lhes toca. É comum as crianças terem medo de agulhas por sentirem dor mas quando isso continua a acontecer em adultos e provoca ataques de pânico e tremores, então é garantido que sofre desta fobia. Há pessoas que evitam ir a médicos para evitarem o contato com agulhas.

Cacorrafiofobia

Trata-se do medo anormal e desmedido de falhar. Como muitas outras fobias, a cacorrafobia está associada a um estilo de vida constrangido e pode ter efeitos devastadores numa pessoa que tenta executar certas atividades. Uma pessoa que sofra desta fobia contempla a possibilidade de fracasso com tanta intensidade que normalmente escolhe não correr o risco. Como o sucesso depende do esforço que uma pessoa emprega para conseguir o que deseja, os sofredores desta fobia ficam, geralmente, aquém das suas possibilidades e do seu potencial.

Insetofobia

Como o nome indica trata-se do medo ou aversão a incestos e bichos do género. Esta fobia pode provocar uma reação emocional ligeira ou severa, ansiedade ou ataques de pânico. Os sintomas são comuns a muitos outros medos irracionais. Ou encontro ou contato com um inseto pode provocar a perda de consciência, de tão forte que pode ser o medo. Chorar descontroladamente ou tentar fugir da área onde se encontra o inseto são outras reações comuns.

Acrofobia

A acrofobia é o medo extremo e irracional de alturas. A maioria das pessoas sente receio natural de alturas, principalmente quando existe pouca ou nenhuma proteção. Ataques de pânico e agitação quando expostos em locais altos, são reações normais de quem sofre desta fobia, além de uma vontade estrema de descer para a segurança. Entre 2 a 5% da população sofre de medo de alturas, com quase o dobro das mulheres em relação aos homens. Está também associada a traumas envolvendo alturas. Há quem acredite que um dos fatores que contribuem para esta fobia seja uma disfunção na capacidade de manter o equilíbrio.

E você?
Anda sentindo algum desses medos de forma exagerada de maneira a impedir o curso normal das suas atividades cotidianas?
Se a resposta for sim, talvez esteja na hora de procura auxilio psicológico ou psiquiátrico para receber o correto tratamento e poder retomar uma vida longe desses medos.

 

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *