Dicas para não passar pelo Efeito Sanfona após emagrecer

Dicas para não passar pelo Efeito Sanfona após emagrecer

Não deixe que o efeito sanfona ponha toda sua dieta à perder

Conhecido como efeito sanfona ou ainda com fenômeno do ioiô, ele tem uma denominação complicada em medicina de “ciclismo de peso”. Mas trata-se de um fenômeno bem simples de entender: é a perda de peso através de dieta, relacionada ou não à atividade física e a medicamentos, seguida da recuperação do peso perdido.

De fato o fenômeno se tornou bastante comum nas sociedades urbanas modernas, haja visto que as primeiras publicações sobre o efeito sanfona são de cerca de 20 a 30 anos atrás e batem com o aumento exponencial dos casos de obesidade nos Estados Unidos – já que segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) mais de 1,6 bilhões de pessoas estão obesas no mundo.

Quando reduzimos drasticamente a quantidade de alimentos ingerida (ou seja, de calorias), ocorre também uma redução do nível de leptina no sangue e um aumento nas concentrações de grelina. A leptina, hormônio produzido no tecido gorduroso, transmite sinais de saciedade para o cérebro. Essa substância foi descoberta em 1994, e seu nome deriva da palavra grega leptos, que significa magro. Já a grelina é o oposto, ela é produzida no estômago com o objetivo de levar sinais de fome ao cérebro. A grelina, descoberta recentemente pelos japoneses, estimula o apetite do dia-a-dia. É o hormônio da fome.

Durante a dieta, já que a quantidade de leptina é reduzida e a de grelina é aumentada, o indivíduo fica mais propenso a ceder à tentação na próxima refeição. Já que esses dois hormônios atuam na regulação do metabolismo, as alterações acabam por ocasionar uma redução do gasto de calorias do organismo, favorecendo o efeito sanfona.

A máquina de economia energética do ser humano está programada para nos defender da escassez de alimento. É nessas horas quando perdemos peso rapidamente que o nosso organismo “pensa” que vamos morrer de inanição devido à falta de comida. Então ele tenta nos “proteger” facilitando o ganho de peso, fazendo-nos procurar comida e fazendo essa comida ser armazenada com mais facilidade.

Por isso, não adianta seguir todas dietas as radicais que se vê pela internet a fora, pois quanto mais radicais as dietas maior é a chance de ocorrer o efeito sanfona. Tanto em quantidade de calorias como no uso de gordura, proteína e carboidrato de forma balanceada ou não.

Alguns indivíduos podem estar mais predispostos a apresentar oscilações de peso, mas os genes que regulam a obesidade são muitos e ainda não há um estudo genético específico sobre esse assunto. O que já se tem certeza é que sexo e idade aumentam a propensão ao efeito sanfona.

Então, foi pensando nisso que resolvemos separar algumas dicas prontas para você não precisar passar pelo efeito sanfona após fazer sua dieta:

  • Não faça loucuras

Como já dissemos anterior mente as dietas restritivas fazem com que o corpo estoque a comida escassa ingerida para manter energia no decorrer do dia como uma forma de defesa natural.

  • Mantenha-se relaxado

Você pode até não acreditar, mas o estresse está relacionado ao efeito sanfona do corpo. Isso porque, durante os momentos críticos de ansiedade, é comum a sensação de que só um chocolate será capaz de acalmar nosso coração. “Quando a gente fica estressada, o organismo dispara a produção de cortisol. Este hormônio, em grande quantidade, faz que o apetite aumente. Para piorar, cresce o desejo por doces ou massas brancas”, diz a nutricionista. Então, faça ao longo do dia atividades que deem prazer e ajudem a relaxar.

  • Faça suas refeições de 3 em 3 horas

Um dos maiores segredos para entrar em forma e permanecer nela é comer de três em três horas. Então para não dar chance ao efeito sanfona, faça pequenos lanches durante esse intervalo de tempo.

  • Valorize cada uma das suas refeições

A chave para aniquilar o efeito sanfona está em uma palavra: saciedade. Então, sempre que possível, inclua as fibras nas refeições. Elas funcionam como uma esponja. Assim que chegam ao nosso estômago, incham, ocupando um maior espaço dentro dele. Por isso, adicione chia a sucos e iogurtes, e coma massas integrais. Deste modo, você sente menos fome e, consequentemente, comerá menos.

  • Hidrate-se

Se você acha que para evitar o efeito sanfona precisa ficar só de olho na alimentação, está enganada. Saiba que a água entra na equação e é muito importante para acabar com a sensação de emagrecer e engordar repetidamente. “A água funciona como uma drenagem para o corpo”, a nutricionista ressalta. “Ela ativa o sistema linfático, desintoxica o corpo e elimina as impurezas pela urina. Assim, desinchamos”, completa. Cole na garrafinha de água! Por dia, o ideal é consumir, no mínimo, três litros!

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *