Saiba tudo sobre o HPV

Saiba tudo sobre o HPV

Fique por dentro do que é, quais são as causas e consequências do HPV

O HPV é transmitido pelo vírus Human Papiloma Virus, também é conhecida por “Crista de Galo”. Ela vive na pele e nas mucosas dos seres humanos, na vulva, vagina, colo de útero e pênis.

Este vírus é transmitido no contato pele com pele. Quando em um primeiro contato sexual, de 1 em cada 10 meninas chega a entrar em contato com o vírus. Estima-se que 80 e 90% da população já entrou em contato com o vírus alguma vez na vida, mesmo que não tenha desenvolvido a lesão.

Contudo, 90% das pessoas conseguem eliminar o vírus do organismo naturalmente, e não passam por manifestações clínicas.

É uma doença sexualmente transmissível (DST), e também pode ser transmitida na hora do parto, de mãe para filho. Esta doença é possível de ser controlada, porém, ainda não existe cura para o HPV.

Se não for tratado o paciente, o HPV pode causar desenvolvimento de câncer de colo do útero e, também, do câncer de garganta.

Estima-se que 99% das mulheres que possuem câncer de colo do útero foram inicialmente infectadas pelo vírus do HPV.

Tipos de HPV

A HPV possui mais de 150 tipos, estes que são sequenciados geneticamente.

Dentre eles, alguns podem causar lesões se tornando câncer de colo de útero, garganta ou ânus. São nomeados numericamente, os subtipos 1, 2, 4, 26, 27, 29, 41, 57, 65 e 75 a 78 costumam causar as verrugas comuns de pele, os subtipos 3, 10, 27, 28, 38, 41 e 49, além de também provocar verrugas na pele.

Há dois testes para detectar o HPV, são eles:

  • Teste genético PCR.
  • Teste de captura híbrida.

Estes testes trazem informações importantes: tipo de HPV, qual a carga viral e também se o HPV identificado é ou não oncogênico, ou seja, investiga se pode evoluir para um câncer.

As verrugas causadas na pele são conhecidas como “verrugas planas”, os subtipos 1, 2, 4, 60, 63 provocam as verrugas nas plantas dos pés, os subtipos 1 a 6, 10, 11, 16, 18, 30, 31, 33, 35, 39 a 45, 51 a 59, 70 e 83 podem provocar verrugas genitais ou anais (condiloma acuminado).

Veja quais são os tipos de HPV de alto risco, entre os mais comuns estão:

HPV-16, HPV-18, HPV-31, HPV-35, HPV-39, HPV-45, HPV-51, HPV-52 e HPV-58.

Já os tipos de baixo risco são:

HPV 6 e HPV 11.

Entre esses tipos, 90% dos casos de verrugas genitais são provocados pelos subtipos 6 e 11, e 70% dessas lesões são causadas pelos HPVs tipo 16 e 18, enquanto o HPV 31, 33, 45 e outros tipos menos comuns são encontradas em outros casos da doença.

Os HPVs tipo 6 e 11 são comumente encontrados nas mulheres, causando apenas verrugas genitais.

No homem ela é semelhante ao HPV na mulher, mas é assintomática, apesar do vírus estar presente na pele do órgão genital e poder ser transmitido para outros, por meio do contato íntimo.

A HPV na gravidez

O tratamento do HPV na gravidez deve começar, nas primeiras semanas de gestação, com os remédios citados acima e sob a orientação do obstetra, que deverá ser feita com criteriosa atenção.

Se a mulher apresentar verrugas genitais no final da gestação, é recomendável que se faça uma cessaria, porque há risco de transmissão da doença para o bebê, caso entre em contato com as lesões.

O mais indicado é fazer o tratamento do HPV antes de engravidar, pois reduzirá as chances de existirem verrugas durante o parto.

Grupo de risco

As mulheres são as mais propensas no grupo de risco de HPV, entre 30 e 65 anos, por isso devem realizar um exame de HPV mais o Papanicolau a cada 5 anos.

As mulheres entre 21 e 29 anos devem fazer o exame Papanicolau a cada 3 anos.

Atualmente, não há nenhum exame de HPV para homens, mas estes podem visitar o Urologista para exames de rotina, também.

Alguns fatores de risco do HPV são:

  • Relação sexual desprotegida.
  • Vida sexual precoce.
  • Imunodepressão.
  • Presença de outras DSTs.
  • Mais de um parceiro sexual.
  • Isentar-se dos exames de rotina.
  • Mais de uma gestação ou de gêmeos.
  • Uso de contraceptivos orais por tempo indeterminado.
  • Tratamentos, como: quimioterapia, radioterapia.

 

Complicações

Como as verrugas são lesões, o HPV aumenta o risco de desenvolver câncer na vagina, vulva, ânus, pênis, escroto ou até mesmo na boca.

Para evitar o desenvolvimento de câncer é realizando o tratamento com os medicamentos ou a cirurgia e sempre manter uma boa higiene.

Como prevenir? O HPV é transmissível?

A prevenção do HPV deve ser feita por meio de:

  • Higiene saudável.
  • Uso de preservativos e exames periódicos, tanto no ginecologista para mulheres quanto para o urologista no caso dos homens; em todos os tipos de relações sexuais (anal, oral, genital).
  • Rotina do exame preventivo (Papanicolau).
  • Evitar fumar.
  • Não beber em excesso.
  • Não usar drogas.

Tomar a vacina quadrivalente (previne contra o HPV 6,11,16 e 18) ou bivalente (contra o HPV 16 e 18), ela pode prevenir contra o HPV e diversas outras doenças causadas pelo vírus. Sendo eficaz em até 90% dos casos, Para mulheres e homens de 9 a 26 anos, 3 doses (atualmente, 2 meses e 6 meses).

O HPV é transmissível e ocorre através do contato direto com a pele ou mucosa infectada, em maioria (95% dos casos) são transmitidos através da relação sexual.

Em 5% das vezes é transmitida pelo contato com mãos contaminadas pelo vírus, objetos, toalhas e roupas, desde que haja secreção com vírus vivo em contato com pele ou mucosa não íntegra.

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *