Grupos de risco para a queratose pilar

Grupos de risco para a queratose pilar

Por ser uma doença genética, a queratose pilar aparece normalmente durante a infância e, em alguns casos, na adolescência. Quem tem pais com a doença possuem maior risco de desenvolvê-la.

Outros grupos que são susceptíveis e que tem seu estágio agravado são as pessoas que possuem pele secam, mas todo os tipos de pele podem apresentar queratose, mas os ricos para a pele seca são bem maiores.

A principal causa da pele seca é a sua incapacidade de regular sua hidratação. Isso pode fazer com que a queratose se manifeste, uma vez que também está associada a falta de hidratação da pele.

  • Doenças autoimunes

Dermatite atópica é uma doença autoimune que causa inflamação na pele. Acredita-se que sua relação com a queratose seja devido a dificuldade de permeabilidade da pele.

As pessoas que têm doenças alérgicas, como asma ou rinite, têm maiores chances de desenvolver a queratose pilar.

  • Má alimentação
    Embora a queratose pilar seja uma doença genética, há indícios de que uma alimentação carente em vitamina A pode levar ao aparecimento das bolinhas na pele. Contudo, não há nada comprovado e não se pode dizer que esta é a causa real do problema.

Sintomas da queratose pilar

Queratose é uma doença assintomática, ou seja, não possui sintomas aparentes como náuseas, dores de cabeça, dor e etc. Sua única indicação são as bolinhas na pele.

Como é feito o diagnóstico da queratose pilar?

Por ser uma doença assintomática, sua simples aparição leva a um diagnóstico. Se você desconfia que tem queratose pilar, consulte um dermatologista. Ele será capaz de diagnosticar a condição através de um simples exame físico.

Entretanto, não é incomum que esta condição seja confundida com pelos encravados, foliculite ou acne. Infelizmente, ela pouco divulgada, o que dificulta que os pacientes questionem o diagnóstico errôneo.

Queratose pilar tem cura?

Sim e não. A queratose pilar é variável de um indivíduo para o outro. Com isso, queremos dizer que algumas pessoas se curam enquanto outras conseguem, no máximo, suavizar o problema.

Isso ocorre principalmente com quem tem predisposição genética. Quem não possui casos de queratose pilar na família tem mais chances de eliminar a doença. Já os que possuem tem suas chances reduzidas.

É possível, também, que a doença desapareça sozinha, por volta dos 30 anos de idade.

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *